quinta-feira, 22 de maio de 2008

Metade

''Porque metade de mim é a lembrança do que fui,a outra metade eu não sei.''
Ferreira Gullar

As lembranças da infância pareciam ter desaparecido. Ou haviam se misturado com as do dia de ontem, não sabia direito.
Nada mais era certo.
Todas as suas certezas de criança haviam ruído.
Sentia-se perdida diante de cobranças, situações, pessoas, poemas...
Chão? Não tinha mais.
Virou uma personagem desse mundo. Reinventou-se.

3 comentários:

j. disse...

eu gostaria de saber escrever assim.

j. disse...

parabéns! :D ta lindo.

Fernanda Vaitkevicius disse...

Mulheres sensíveis. Transportam por meio da palavra tudo aquilo que lhes habita a alma.

Parabéns, obrigada pela visita.

Adorei teus textos também!!!

Beijão.