sábado, 29 de maio de 2010

Crônica da Solidão ou Solidão Crônica

''Minha solidão não tem nada a ver com a presença ou ausência de pessoas… Detesto quem me rouba a solidão, sem em troca me oferecer verdadeiramente companhia….”
Friedrich Nietzsche

Quanto tempo, queridos! Fiz dois anos de blog no dia 15 e acabei não tendo tempo de passar aqui. Parabéns pra nós!

Hoje vim para confessar. Confessar essa solidão imensa na qual eu me percebo imersa.
É fato que nunca consegui integrar nenhuma ''panelinha'' na escola. Não por querer ser diferente ou coisa assim, mas porque não me encaixava mesmo. Acho que não me lembro de nenhuma amizade forte mesmo, daquelas que são para vida toda. Só colegas. Por pura convivência.
''-Nossa, Luana... como você é chata, heim. Por isso que ninguém gosta de andar com você.''
Perdi as contas de quantas vezes fiquei ofendida com isso. Não fico mais, afinal de contas, é verdade.
Gosto muito de uma frase de Clarice Lispector que diz que todo mundo é um pouco triste e um pouco só. Quando ouvi a frase pela primeira vez achei que não era pra mim. Só? Eu? Imagina... Mesmo que fique um pouco, depois passa. Não, não passa.
E acho que nasci para ser assim mesmo. Estrada, porto, pousada. Um lugar por onde passam muitas pessoas, mas ninguém fica.
Sei que todo mundo tem que ser assim. Uns mais que outros.

Luana H.

10 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Eu tb costumo me isolar bastante, mas é por conta da frase lá de cima do seu post... Odeio trocar minha solidão por má companhia... rs

Beijocas

Cíntia Mara disse...

Oi, Lu!

Olha, eu também nunca tive uma 'amiga pra vida toda'. Já me senti mal por isso, mas hoje eu não acho ruim. Tenho vários amigos e sei que posso contar com eles pra tudo, assim como sei que em determinado momento da vida, cada um pode ir pra um lado diferente. Isso não significa que a amizade seja menos verdadeira ;-)

Beijinhos

Tiago disse...

Lu
Não se sinta só querida!
Acredito sim que mtas pessoas passam por nossas vidas..
Mas tb não fique tensa ao ponto de pensar que não vai aparecer ninguém..
Pelo contrário, pense que bom que as pessoas passam, a chance de vc achar uma pessoa mais legal pra vc mesma..
Algo mto especial vem por ai
Pode confiar!
;)

Bill Falcão disse...

Entendi tudinho, Lu! Linha por linha. Creio que me identifiquei com tudo, inclusive com a citação do Nietzsche, que, não por acaso, abre o seu post.
Fiquei até mais aliviado depois que li. Tem coisas que eu penso que só acontecem comigo, mas não é assim.
E parabéns, ligeiramente atrasados, pelo niver do blog, né?
Bjoo!!

Sammyra Santana disse...

Luuuu que saudades, menina!
que bom que a gente some do blog, ams sempre volta, rs!
e quanto a vc se sentir só... sabe que eu tb?
Eu até gosto da solidão, ela me obriga a pensar em mim e me cuidar!
Beijo beeem grande e cheio de saudades!

Robs disse...

Oi florzinha...

Então, concordo que todos sentem um pouco sozinhos sim... isso sempre acontece...

E as pessoas saem e entram na vida de todos e muitos nao ficam mesmo... aparecem para fazerem o que tem de ser feito e dps vão embora... triste realidade, mas é assim mesmo.

Não se sinta mal por isso...

Beijos!

Tiago disse...

Beijo querida!
Aparece por favor!
;)

L. disse...

essa frase é, simplismente, espetacular! ela resume tanta coisa em tão pouco :O
já tinha ouvido em algum lugar, há um tempo atrás, mas agora ela faz um sentido e tanto.
as pessoas não sabem diferenciar isolamento, solidão, chatice.. de 'querer um tempo consigo próprio'.

e poxa, dois anos? :O
um dia eu chego lá!
o meu primeiro blog deve tá fazendo uns 1098 anos, mas não conta. sempre paro na metade :/
mas pretendo seguir em frente com esse. mesmo que não tenha o que postar todo dia... esquecer, nunca mais hahaha

enfim, dando só aquela passadinha de costume mesmo.

um beijo, L. :*

L. disse...

e não se sinta só.
aprendi, por experiência própria, que devemos esperar as coisas acontecerem no tempo certo. e que não devemos criar expectativas que nos deixem ansiosas ou que nos faça imaginar depois o que acreditamos estar por vir.

as melhores coisas só acontecem quando menos esperamos! :)

♥ Carpe Diem ♥ disse...

Me identifiquei de imediato com você quando disse que nunca fez parte de panelinhas... Sempre fui assim! O estranho é que sempre me senti errada, e aos poucos fui descobrindo que na verdade me permito ser eu mesma sem ser parasita de outros. Às vezes me sinto muito só também, mas em contrapartida é preferível a qualquer banalidade.

Beijos!
Adorei seu blog.